Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Dezembro de 2017

Expediente Login
Almanaque Cuiabá
Em 1990 o prédio, que tinha um modelo histórico a exemplo do existente em São Paulo, Rio de Janeiro e outros grandes centros, infelizmente foi demolido.

Prédio da Lojas Riachuelo foi hotel e hospedou o escritor Monteiro Lobato

O antigo prédio colonial que hoje abriga as instalações das Lojas Riachuelo hospedou o escritor Monteiro Lobato, época em que no local funcionou o tradicional Hotel Esplanada

Arquivo/Almanaque
Prédio da Lojas Riachuelo foi hotel e hospedou o escritor Monteiro Lobato

Tamanho do Texto A+ A-

O casarão que abriga as instalações da Lojas Riachuelo, localizado no início da rua 7 de Setembro (antiga rua de Baixo) lado correspondente à praça da República já foi residência do bispo dom José Antonio dos Reis, no século XIX, e tinha uma arquitetura Art nouveau (estilo francês muito usado á época).

Já em 1914 transformou-se no tradicional Hotel Universal, pertencente à família de Felipe Jorge. Anos depois virou Hotel Esplanada, de outro membro da família, Chico Jorge, época em que o escritor Monteiro Lobato ficou hospedado quando esteve em Cuiabá.

Com o fechamento deste hotel, o espaço foi ocupado para abrigar em 1945 a sede do PSD e na mesma década foi adaptado para definitivamente ser ocupado pelo Centro América Hotel, de propriedade da família Affi.  

Em 1990 o prédio, que tinha um modelo histórico a exemplo do existente em São Paulo, Rio de Janeiro e outros grandes centros, infelizmente foi demolido.

Hoje, totens e placas comerciais dão vida à moderna fachada da Lojas Riachuelo, mas as imagens daquela obra colonial ficarão registradas nas páginas deste Almanaque.

 

Da Redação/AC
VOLTAR AO TOPO

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Prédio da Lojas Riachuelo foi hotel e hospedou o escritor Monteiro Lobato

Já temos 4 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Alberto Romeu

Alberto Romeu

Em 1983 eu morava em Alta Floresta, recém chegado de Umuarama - PR. Tive que vir a Cuiabá participar de uma audiência trabalhista de um funcionário da fazenda do meu sogro - Agostinho Cardozo Neto. Viajei 900 km de ônibus em estrada de terra na época. Minha esposa Márcia e minha filha Manuela com poucos meses de vida ficaram em Alta Floresta, onde a energia (de motor à diesel) 'aparecia' em casa entre 18 e 21 horas. Dormi duas noites nesse hotel. E jantei no Choppão à época. Havia um elevador com porta sanfonada - pelo que me recordo. O preço era bom. O advogado Edgar Fróes, que representava meu sogro não compareceu à audiência. Voltei de ônibus do Expresso Maringá (nem tinha para-choques devido os muitos buracos na estrada). E como era estratégia do dono de um hotel e restaurante, o ônibus pernoitou à beira do Rio Teles Pires - pois a balsa funcionava só até as 18h00. Havia um hotel, mas eu não tinha dinheiro e dormi no ônibus... e com saudade do hotel.
★★★★★DIA 22.07.17 14h50RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Douglas Moraes

Douglas Moraes

Esse prédio antigo era muito bonito, uma arquitetura classica dos grandes centros.
★★★★★DIA 22.07.17 10h03RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Cirilo de Paula Ferreira Paula

Cirilo de Paula Ferreira Paula

Morei em Cuiabá na rua 13 de junho durante 20 anos. Este prédio era o cartão postal da rua. Ele se destacava em toda a sua extensão. Foi um absurdo a sua demolição. Até hoje não entendi porque permitiram isso.
★★★★★DIA 27.09.16 00h01RESPONDER
Guilherme Scardini, Benjamim Franklin
Enviando Comentário Fechar :/
Fernando Greffe

Fernando Greffe

Capitalismo selvagem destruindo a história de um povo!
★★★★★DIA 08.12.17 22h41RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/