Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Setembro de 2018

Expediente Login
Almanaque Cuiabá
Orientada por Pires de Campos, a bandeira de Pascoal Moreira Cabral seguiu imediatamente à cata desses índios, dando-lhes violenta guerra, na qual foram perdidos muitos homens, de lado a lado.

Cuiabá 299 anos: A Conquista da Terra sob a ótica de Elizabeth Madureira Siqueira

Entre 1673 e 1682, os bandeirantes paulistas Manoel Bicudo e Bartolomeu Bueno subiram o rio Cuiabá

Cuiabá 299 anos: A Conquista da Terra sob a ótica de Elizabeth Madureira Siqueira

Tamanho do Texto A+ A-

Entre 1673 e 1682, os bandeirantes paulistas Manoel de Campos Bicudo e Bartolomeu Bueno da Silva subiram o rio Cuiabá até a sua confluência com o Coxipó-Mirim, onde acamparam. Eles denominaram o local de São Gonçalo. No final de 1717, seguindo o mesmo caminho do seu pai, António Pires de Campos (filho de Bicudo), chegou ao mesmo local, rebatizando-o de São Gonçalo Velho.

PREAR ÍNDIOS FOI A MISSÃO
Nessa região, onde hoje vivem ribeirinhos e ceramistas, encontraram uma aldeia de índios Bororos. Muitos foram aprisionados em combate e levados para São Paulo como escravos. Além da extração do ouro, os bandeirantes paulistas seguiram em busca de uma mercadoria farta nos sertões brasileiros: os índios.

ÍNDIOS À VISTA!
Foi em seu encalço que as expedições de Antônio Pires de Campos, seguida da de Pascoal Moreira Cabral, atingiram terras que pertenceriam, mais tarde, a Mato Grosso. Pires de Campos, em 1718, localizou os índios nativos das margens do rio Coxipó-Mirim, chamados, pelos bandeirantes,
de coxiponés.

EXPEDIÇÃO DE CABRAL SOFRE CONTRA-ATAQUE INDÍGENA
Orientada por Pires de Campos, a bandeira de Pascoal Moreira Cabral seguiu imediatamente à cata desses índios, dando-lhes violenta guerra, na qual foram perdidos muitos homens, de lado a lado.

ENCONTRADO OURO NA ALDEIA VELHA
Depois de serem socorridos por outra bandeira capitaneada pelos irmãos Antunes Maciel, resolveram seguir para o Arraial de São Gonçalo Velho, ou Aldeia Velha, onde haviam deixado alguns homens acampados. Logo após uma das refeições, alguns integrantes dessa bandeira, lavando os pratos nesse rio, encontraram, casualmente, pepitas de ouro. Estavam descobertas as minas em território mato-grossense (1719).

PASCOAL MOREIRA CABRAL FOI O ESCOLHIDO A FICAR À FRENTE DE TRABALHOS ADMINISTRATIVOS
Para organizar o primeiro arraial, cobrar os impostos em nome da Coroa portuguesa e estabelecer a justiça, os mineiros aclamaram, como Guarda-mor, Pascoal Moreira Cabral, que, inicialmente, ficou à frente dos trabalhos administrativos e fiscais. Sua nomeação extraoficial, pela diligência, perseverança e honestidade, dada pelo capitão-general da Capitania de São Paulo – da qual essas novas minas faziam parte – só ocorreu em 26 de abril de 1723.

FUNDAÇÃO DE CUIABÁ
O arraial da Forquilha localizava-se na confluência de dois ribeirões, que, ao juntar-se, davam continuidade ao rio Coxipó. Daí a origem do nome. Supõe-se que o fundador do arraial tenha sido o bandeirante António de Almeida Lara, que, em 1720, estava explorando o rio Coxipó.

FORQUILHA TEVE
VIDA PASSAGEIRA
Forquilha teve vida efêmera. Manteve-se como principal arraial das minas cuiabanas por apenas um ano e meio, até a descoberta das Lavras do Sutil, quando entrou em plena decadência.

PASCOAL ELEITO GUARDA-MOR DAS MINAS
‘’Atendendo a que Pascoal Moreira Cabral tem feito entradas nos sertões à diligência de descobrir ouro, em que gastou alguns anos, com muita despesa de sua fazenda, morte de escravos e com grande risco da própria vida,(...), e ter sido eleito pelo povo, que se achava naquelas minas, (...), hei por bem fazer-lhe mercê do cargo de guarda-mor das ditas minas [...]. " Rodrigo Moreira César de Menezes (Fonte: Leite -1982).

COMUNICADO DO NOVO ACHADO CHEGA A SÃO PAULO
Pascoal Moreira Cabral enviou, até a vila de São Paulo, Fernão Dias Falcão, a fim de levar a boa nova da descoberta. A notícia do novo achado aurífero fez acorrer, para as minas do Coxipó, grande quantidade de pessoas das mais variadas partes da Colônia.

O PRIMEIRO BANDEIRANTE EM CUIABÁ

Manoel de Campos Bicudo foi um bandeirante pioneiro na penetração do Oeste brasileiro, no início do século XVII. Com o seu filho António Pires de Campos, foi o primeiro bandeirante a atingir a região da atual cidade de Cuiabá, entre 1673 a 1682. António Pires de Campos, ainda criança, acompanhou a expedição de Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, até a mitológica Serra dos Martírios, que nunca foi localizada novamente.

FAMÍLIA DE PASCOAL MOREIRA CABRAL
A bandeira de Cabral permaneceu três anos nos sertões caçando índios, erguendo trincheiras e plantando roças de subsistência. Foi nesse período que ganhou dois filhos, provavelmente, descendentes de uma índia, aos quais, mais tarde, reconheceu-os como filhos naturais. Oficialmente, casou-se em 1692, na cidade de Itu, com Isabel Siqueira Cortes, natural da Capitania da Paraíba. Com ela teve 4 filhos, sendo que o primogênito, que herdou-lhe o nome, acabou morrendo, em pleno sertão, no ano de 1722, quando foi vítima de um ataque de índios.

COMO CHEGOU A CUIABÁ
Em 1699, Pascoal capitaneou uma bandeira na região de Curitiba e, em 1716, seguiu novamente para a região de Miranda, onde passou dois anos em incursões de aprisionamento de índios. Dois anos depois, terminou subindo o rio Paraguai, atingindo o Cuiabá e, deste, seu afluente, o Coxipó, onde travou violento combate com os índios coxiponés.

VILAREJO
A notícia do 'achamento' aurífero fez com que grande parte dos habitantes de Forquilha e até mesmo do Arraial de São Gonçalo Velho passassem a minerar no córrego da Prainha, fato que deu pontapé inicial ao povoamento de um pequeno vilarejo, sob a proteção do Senhor Bom Jesus.

 
por ELIZABETH MADUREIRA SIQUEIRA
Graduada em História, Mestre em História Social e Doutora em Educação pela UFMT. Tem experiência e produção nas áreas de História e Educação, com ênfase no contexto regional mato-grossense. Ocupa a cadeira 29 da Academia Mato-grossense de Letras
VOLTAR AO TOPO

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Cuiabá 299 anos: A Conquista da Terra sob a ótica de Elizabeth Madureira Siqueira

Enviando Comentário Fechar :/