Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Maio de 2020

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

Produções bibliográficas

A veia literária deste escritor se manifestou através da coluna "Notas Paulistas", publicadas no jornal O Comércio, sob a direção de Estevão de Mendonça

Tamanho do Texto A+ A-

Sua produção intelectual foi farta e diversificada, abragendo crônicas, poética e textos histórico-culturais, imprescindíveis de leitura a todos aqueles que desejam conhecer e investigar a realidade mato-grossense:

 

- Poesias (1919);
- Elogio fúnebre a Antônio Corrêa da Costa (1921);
- Os jesuítas em Mato Grosso (1921);
- Elogio fúnebre do General Caetano Manoel de Faria e Albuquerque (1926);
- O catolicismo e a mulher (discurso, 1926);
- Cavalhada (contos, 1928);
- Um paladino do nacionalismo: Elogio de Couto de Magalhães (1930);
- Da epopeia Mato-Grossense (versos, 1930);
- Um paladino do nacionalismo: Couto de Magalhães (1930);
- O traumaturgo do sertão (Biografia de Frei José Maria Macerata, 1931);
- Atentado contra a Justiça (Tese de Direito, 1932);
- Espelhos de almas (contos, 1934);
- João Poupino Caldas (ensaio biográfico, 1934);
- Pela boa causa (Conferência, 1936);
- O sentido da literatura mato-grossense (Conferência, 1937);
- Piedade (romance, 1937);
- Manuel Alves Ribeiro (Tese, 1938);
- O sentimento de brasilidade na História de Mato Grosso (1939);
- De Lívia a Dona Carmo (as mulheres na obra de Machado de Assis, 1939);
- Professoras novas para um mundo novo (Discurso paraninfal, 1940);
- A Chapada Cuiabana (Tese, 1940);
- A Academia Mato-grossense de Letras: notícias históricas (1941);
- Nos jardins de São João Bosco. Discurso sobre a obra Salesiana (1944);
- O Exército, fator de brasilidade (Discurso, 1941);
- A Academia Mato-Grossense de Letras (Notícia histórica, 1941);
- Roteiro da felicidade (Sonetos, 1946);
- No tempo da cadeirinha (contos, 1946);
- Escada de Jacó (Sonetos, 1945);
- Recurso extraordinário, razões do recorrente, em colaboração com o advogado Estêvão de Mendonça (1946);
- Gente e coisas de antanho (1978).
 
 
VOLTAR AO TOPO

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter