Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Maio de 2020

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

"Meu Caro Amigo", de Mahon

Quando a veia literária de Eduardo Mahon começa a produzir, nenhuma artéria sossega. O rojão produz adrenalina e sangue que corre fino e polêmico. Veja nesta seção alguns textos de sua verve.

Tamanho do Texto A+ A-
COMPOSIÇÃO DE CHICO BUARQUE DE HOLLANDA
INSPIRA MAHON EM PROTESTO CONTRA A CORRUPÇÃO 

O advogado, professor universitário e membro da Academia Mato-Grossense de Letras, Eduardo Mahon, resolveu expôr o seu protesto contra desmandos da classe política, desmatamento na Amazônia, crise em todos os Poderes, esquemas de corrupção e outras problemáticas no país, a partir do conteúdo da música "Meu Caro Amigo", do LP Meus Caros Amigos, lançado em 1976, de autoria de Francisco Buarque de Hollanda e Francis Hime. 

 

Abaixo, a nova versão de "Meu Caro Amigo", de Mahon:

¨Meu caro amigo me perdoe, por favor!

Se eu não lhe faço uma visita¨
Mas como a greve dos correios demorou
Mando notícias pela mídia

Aqui na terra estão roubando muito mal
Tem muita toga, muito banco e nenhum real
Mas quem tem esquema pra soltar é que é o tal

Mas o que eu quero é lhe dizer
Que a coisa aqui tá preta!

Muito salário pra comprar a oposição
E no Judiciário, muito rolo, muita marra
E no Legislativo, muito lobby, muita paga
Ninguém segura esse rojão

Meu caro amigo não pretendo provocar
Nem atiçar sua maldade
Mas acontece que eu não posso suportar
Sapo barbudo ensinando a malandragem

Aqui na terra estão roubando muito mal
Tem muita toga, muito banco e nenhum real
Mas quem tem esquema pra soltar é que é o tal

Mas o que eu quero é lhe dizer
Que a coisa aqui tá preta!

É pirueta contra juiz honesto e são
Sanguessuga, curupira, muitos santos de barro
Aqui quem é honesto vira motivo de sarro
Ninguém segura esse rojão.

Meu caro amigo eu até tentei denunciar
E processar essa bandalha
Mas rabo preso não falta pra pegar
E permitir muito canalha

Aqui na terra estão roubando muito mal
Tem muita toga, muito banco e nenhum real
Mas quem tem esquema pra soltar é que é o tal

Mas o que eu quero é lhe dizer
Que a coisa aqui ta preta!

Muita propina pra manter cargo na mão
Governo faz acordo com juiz por um salário
Bandido quer cobrir oferta e virou milionário
Ninguém segura esse rojão

¨Meu caro amigo eu bem queria lhe escrever
Mas o correio andou arisco¨
Se Mato Grosso, depois dessa, sobreviver
Mando notícias do bolicho

Aqui na terra estão roubando muito mal
Tem muita toga, muito banco e nenhum real
Mas quem tem esquema pra soltar é que é o tal

Mas o que eu quero é lhe dizer
Que a coisa aqui tá preta!

Minha caneta não assina submissão
Mato Grosso vai perdendo tão fácil o seu tesouro
Desmate na amazônia, moto-serra de ouro
Ninguém atura mais ladrão!

Meu caro amigo não quero incomodar
Acho melhor ficar na minha
Aquele que não gosta nem de comentar
Ainda quer uma boquinha

Aqui na terra estão roubando muito mal
Tem muita toga, muito banco e nenhum real
Mas quem tem esquema pra soltar é que é o tal

Mas o que eu quero é lhe dizer
Que a coisa aqui tá preta!

É tanto rolo que só fico no jornal
Tanto empresário acusado e muito esculhambado
Que não dá conta de pagar tanto advogado
E todo o pessoal
Adeus!

VOLTAR AO TOPO

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter