Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Dezembro de 2017

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

Conhecendo o artista

Cuiabano, nasceu em 30 de maio de 1957, filho de Nilson Arruda e Tanita Marques de Pinho Arruda.Herdou da mãe o interesse pelo teatro e desde a década de 80 é o mais popular ator do Estado.

Conhecendo o artista

Tamanho do Texto A+ A-

A primeira apresentação aconteceu em 1968, no Colégio São Gonçalo, onde fez uma dublagem de Balada para um Louco, uma versão de Moacir Franco para a música de Astor Piazzola. A partir daí mostrou que teatro não seria apenas uma brincadeira.

Nos anos 70, junto com Ivan Belém, participou do grupo de teatro do Sesi, "Pequenos Gigantes,". Com Ivan Belém, o artista tomou conta da noite, com as poderosas "Creonice e Comadre Nhara". Uma união que emplacou de vez com a apresentação do espetáculo, "Elas por Eles".

O artista também trabalhou por 10 anos como professor no colégio Pernalonga, em Cuiabá, dando aulas de Educação Artística, Teatro e Redação. Foi ainda repórter da TV Centro América, filiada da Rede Globo na capital mato-grossense, por um curto período.

Liu Arruda era sistemático e extremamente profissional em todos os seus trabalhos. Como sofria de insônia, grande parte de seus projetos eram elaborados durante a madrugada. Bianca de Arruda, sobrinha do ator, relembra várias demonstrações da personalidade forte do tio, já que trabalhou com ele durante algum tempo.

"Ele sempre foi brincalhão, gostava de sacanear as pessoas, mas ao mesmo tempo era sério com as suas obrigações, gostava das coisas certas e de cumprir horários", enfatiza. O tino empresarial era muito marcante nas ações de Liu.

Era um homem visionário e sempre foi seu próprio patrão. Em meados dos anos 90 ele abriu o bar "Teatro de Varanda", que depois passou a se chamar "Nó de Cachorro"

O local era palco de espetáculos e a ideia era dar oportunidade aos artistas regionais a apresentarem suas peças à sociedade cuiabana, sem distinção de classe social. O objetivo era popularizar as manifestações culturais.

O ator fez muito sucesso quando foi garoto propaganda do antigo supermercado Trento Junior. Liu também participou das novelas O Campeão, da TV Bandeirantes e A Lenda, da extinta TV Manchete. Também fez uma breve participação na novela da TV Globo, Suave Veneno.

O humor de Liu valorizava o linguajar cuiabano, que era expresso numa mistura de irreverência com pureza, mas sem traço de vulgaridade.

Em mais de 25 anos de carreira, sua galeria tem quase 40 personagens e centenas de apresentações teatrais. Liu além de ter participado em novelas, manteve colunas em jornais e lançou o CD, "Ocê qué vê, escuta", com catorze faixas, sete músicas e sete piadas. 

Liu Arruda morreu no dia 24 de outubro de 1999, com 42 anos.

Após a sua morte, Liu Arruda recebeu várias homenagens pelo seu trabalho como artista mato-grossense, com destaque para a Sala Liu Arruda no Museu do Rio e o Espaço Cultural Liu Arruda do Tribunal de Contas de Mato Grosso, inaugurado em 2009, ambos locais em Cuiabá.

O artista também foi tema da exposição "Quarto de vestir" – Exposição dos figurinos de Liu Arruda, que teve a curadoria de Juliana Capilé em 2008. O evento reuniu figurinos e fotografias do ator, que ficaram expostos no Museu da Imagem e do Som (Misc), na Capital Mato-grossense.

Na opinião da curadora, Liu foi um grande talento e contribuiu de forma intensa para o fomento da cultura no Estado. "Liu foi um grande ator, de uma capacidade cômica impressionante. Ele improvisava com muita rapidez e estava sempre atendo a qualquer movimento da platéia. Conseguiu uma projeção que poucos experimentaram por aqui", completa Capilé.

VOLTAR AO TOPO

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter