Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Novembro de 2019

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

Caetanada

A Caetanada ocorreu em meados de 1916, em plena efervescência da disputa entre dois partidos, o Republicano Conservador e o Republicano Mato-grossense.

Tamanho do Texto A+ A-

O Movimento denominado Caetanada foi um período conturbado da história de Mato Grosso, envolvendo o governador do Estado general Caetano de Albuquerque, e que ocorreu na década de 1910. Na verdade, foi um movimento político-armado - de luta armada, que resultou na cassação do governador, sob a interferência do presidente da República.

Partido Republicano Conservador X Partido Republicano Mato-grossense
A Caetanada ocorreu em meados de 1916, em plena efervescência da disputa entre dois partidos, o Republicano Conservador e o Republicano Mato-grossense.

Coronéis da política eram quem ditava as regras partidárias
O escritor Lourembergue Alves, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e da Academia Mato-grossense de Letras, explica que os partidos da época tinham uma determinação rigorosa que deveria ser seguida por todos os candidatos eleitos: fazer o que mandavam as siglas. Quem determinava essas regras e normas, eram os chamados coronéis da política.

Maestria do senador Azeredo
E no Partido Republicano Conservador, essa pessoa era o senador Azeredo. Ele chegou a ser vice-presidente do Senado e presidir sessões em várias oportunidades. Existiam muitas outras lideranças fortes, mas se separaram porque não achavam espaço dentro do partido. Pedro Celestino, por exemplo, foi praticamente obrigado a deixar o partido em 1912, sob alegação de não ter espaço. Resolveu fundar outro partido, o Republicano Mato-grossense.

A chave da discóridia
 A não observação dessas regras por Caetano de Albuquerque, foi a chave da discórdia do movimento denominado Caetanada. Ele foi eleito pelo Partido Conservador, mas, ao contrário de todos os outros governadores, começou a fazer vistas grossas para as determinações do partido. Era comum, por exemplo, o governador demitir todas as pessoas que eram contrárias a sua sigla, porém, ele não fez isso. Manteve algumas pessoas que faziam oposição e, pior, começou a nomear como secretários de Estado filiados a outros partidos, aumentando o conflito.

Pressão política
Albuquerque não acatava algumas reivindicações de Azeredo e de outras lideranças, enquanto as de Pedro Celestino, que era de partido diferente, eram aceitas. O Republicano Conservador passou a chamá-lo de traidor e os deputados começaram a pressionar o governador, que já era procurado pelo pessoal do Republicano Mato-grossense.

Benesses do Poder
"Os coronéis” procuravam, de qualquer forma, ficar próximo do governador. Isto significava reforçar sua liderança política em troca de ajudas e benefícios. “Quem estava contra o governo, ficava de fora”.

Cassação do mandato do governador
Tudo isso gerou um processo de cassação do mandato do governador, pela Assembleia Legislativa. O clima gerou, inclusive, lutas armadas, já que os coronéis, que apoiavam um ou outro grupo, tinham as próprias forças paramilitares. Isso ocorreu ainda no início do século XX.

VOLTAR AO TOPO

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter