Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Dezembro de 2017

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

A Guerra do Paraguai sob a égide do presidente e ditador Solano Lopes

A Guerra do Paraguai teve seu início no ano de 1864, a partir da ambição do ditador Francisco Solano Lopes, que tinha como objetivo aumentar o território paraguaio e obter uma saída para o Oceano Atlântico, através dos rios da Bacia do Rio da Prata.

Arquivo
A Guerra do Paraguai sob a égide do presidente e ditador Solano Lopes

Tamanho do Texto A+ A-

Ditador Francisco Solano Lopes
O paraguaio Francisco Solano López Carrillo nasceu em Assunção, no dia 24 de julho de 1827. Foi o segundo presidente constitucional da República do Paraguai, exercendo o cargo de 1862 até a data de sua morte, em 1 de março de 1870. Foi comandante das Forças Armadas e chefe supremo do seu país durante a Guerra do Paraguai. 

Para neutralizar Mato Grosso, o ditador paraguaio colocou obstáculos para a liberação da navegação pelo Rio Paraguai, cobrando altos impostos às embarcações brasileiras que se dirigiam ou saíam de Mato Grosso através da capital paraguaia.

Causas
Visando a província de Mato Grosso, o ditador aproveitou-se da fraca defesa brasileira naquela região para invadi-la e conquistá-la. Fez isso sem grandes dificuldades e, após esta batalha, sentiu-se motivado a dar continuidade à expansão do Paraguai através do território que pertencia ao Brasil.

A porção sul de Mato Grosso foi invadida e devassada pelos paraguaios, como foi o caso de Corumbá, cuja população sofreu baixas. Seu próximo alvo foi o Rio Grande do Sul, mas, para atingi-lo, necessitava passar pela Argentina. Então, invadiu e tomou Corrientes, província Argentina que, naquela época, era governada por Mitre. 

Reação da Tríplice Aliança (Argentina, Brasil e Uruguai) - Batalha de Riachuelo
Decididos a não mais serem ameaçados e dominados pelo ditador Solano Lopes, Argentina, Brasil e Uruguai uniram suas forças em 1° de maio de 1865, através de acordo conhecido como a Tríplice Aliança. A partir daí os três países lutaram juntos para deter o Paraguai, que foi vencido na batalha naval de Riachuelo e também na luta de Uruguaiana.  

Defesa Aérea & Naval

Guerra do Paraguai
Argentina e Uruguai se uniram ao Brasil para enfrentar o Paraguai. Foram envolvidos

 

Batalhas, liderança de Duque de Caxias e morte do ditador Solano Lopes em Cerro Cora
Esta guerra durou seis anos; contudo, já no terceiro ano, o Brasil via-se em grandes dificuldades com a organização de sua tropa, pois além do inimigo, os soldados brasileiros tinham que lutar contra a falta de alimentos, de comunicação e ainda contra as epidemias que os derrotavam na maioria das vezes. Diante deste quadro, Caxias foi chamado para liderar o exército brasileiro. Sob seu comando, a tropa foi reorganizada e conquistou várias vitórias até chegar em Assunção no ano de 1869. Apesar de seu grande êxito, a última batalha foi liderada pelo Conde D`Eu (genro de D. Pedro II). Por fim, no ano de 1870, a guerra chegou ao seu final, com a morte de Francisco Solano Lopes em Cerro Cora. 

Motivos da participação da Inglaterra em favor dos países da Tríplice Aliança
Antes da guerra, o Paraguai era uma potência econômica na América do Sul. Além disso, era um país independente das nações europeias. Para a Inglaterra, este país era um exemplo que não deveria ser seguido pelos demais países latino-americanos, que eram totalmente dependentes do império inglês. Foi por isso, que os ingleses ficaram ao lado dos países da Tríplice Aliança, emprestando dinheiro e oferecendo apoio militar. Era interessante para a Inglaterra enfraquecer e eliminar um exemplo de sucesso e independência na América Latina. 

Recanto Adormecido

Guerra do Paraguai
O Museu Imperial/Ibram reúne uma vasta documentação sobre o conflito conhecido como Guerra do Paraguai com 402 documentos iconográficos e cartográficos

 

Consequências
- A indústria paraguaia ficou arrasada após a guerra. O Paraguai nunca mais voltou a ser um país com um bom índice de desenvolvimento industrial e econômico, pelo contrário, passa até hoje por dificuldades políticas e econômicas.

- Cerca de 70% da população paraguaia morreu durante o conflito, sendo que a maioria dos mortos eram homens;

- Embora tenha saído vitorioso, o Brasil também teve grandes prejuízos financeiros com o conflito. Os elevados gastos da guerra foram custeados com empréstimos estrangeiros, fazendo com que aumentasse a dívida externa brasileira e a dependência de países ricos como, por exemplo, da Inglaterra;

- Com a guerra, o Exército brasileiro ficou fortalecido no aspecto bélico, pois ganhou experiência e passou por um processo de modernização. Houve também um importante fortalecimento institucional. Do ponto de vista político, o exército também saiu fortalecido e passou a ser uma importante força no cenário político nacional.

 

Fonte: pesquisa orientada, Elizabeth Madureira Siqueira
VOLTAR AO TOPO

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter