Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Maio de 2019

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

Lateral da antiga Igreja Matriz abrigou carros de Praça

Lateral da antiga Igreja Matriz abrigou carros de Praça

Da esquerda para a direita: IRÊNIO LUÍS AMORIM, apelidado de 'Corujinha’ (chevrolet modelo1952). No centro JUSTINO JOAQUIM SANTANA, o popular ‘Mussum’ (chevrolet modelo1954) e à direita EDUARDO LUCAS, alcunha de ‘Coruja' (chevrolet modelo1950). Hoje, exis

Na metade do século XX, surgiram em Cuiabá os primeiros veículos conduzidos pelos chamados 'chaufeur de praça' (Chofer de praça). Conforme lista da Empresa Companhia Telephonica, da época, o local onde os motoristas ficavam era denominado de 'ponto de automóvel'. Os veículos eram chamados de 'carros de praça'.

Com apelido de 'Coruja', Eduardo começou a paixão por automóvel aos dez anos, quando ainda lavava carros de dia e vendia jornais à noite.

Hoje os pontos de táxi e os taxistas estão em todos os lugares da cidade, mas naquela época o ponto tradicional era o existente na lateral da Matriz, antes da igreja ser demolida.

Eduardo Lucas, diretor do sindicato dos taxistas de Cuiabá, fundado ainda como associação em 1943 fez parte dessa história. Ele nasceu em Santo Antonio em 1937, tem 4 filhos com  Juracy Canavarros da Silva, a que ele chama de 'minha adorada esposa'.

Com apelido de 'Coruja', Eduardo começou a paixão por automóvel aos dez anos, quando ainda lavava carros de dia e vendia jornais à noite. Nos idos anos de 1959 resolveu ser também chaufeur. Ele já conduziu grandes personalidades. Entre elas, se destacam: doutor Garcia Neto, doutor Frederico Campos, Bento Lobo, Rodrigues Palma, senador Canelas, Vicente Emilio Vuolo, Anildo Lima Barros, Filinto Müller, João Ponce de Arruda, Pedro Pedrossian e até autoridades do governo federal. Seu ponto de automóvel ficava ao lado da Matriz, o segundo ponto de táxi que surgiu em Cuiabá, pelo nome de 'Ponto da Matriz'.

Antes da implosão da igreja (final dos anos 60), os três motoristas da foto acima resolveram se despedir da Matriz  exibindo seus carros Chevrolet, dos anos 50. Da esquerda para à direita está o motorista Irênio Luís Amorim, apelidado de 'Corujinha', no centro, Justino Joaquim Santana, o popular Mussum, e à direita surge Eduardo Lucas, com seu carro de 1950. Tinha o apelido de 'Coruja'. Hoje, o ponto de táxi de n° 4 da praça Rachid Jaudy (antiga praça Santa Rita), tem o seu nome como homenagem.

Posteriormente veio outro ponto que ficava no Porto nas imediações da ponte, mais precisamente perto do antigo Bar Lar Carioca. Era chamado de 'Ponto do Porto'. Ali tinha 4 carros, dirigidos pelos condutores Berilo, Tite, Lauro e Zelito.

Surge ainda outro ponto que ficava em frente aos Correios e tinha por nome 'Ponto Santo Antônio'.

Eduardo Lucas se emociona ao se lembrar os 'velhos tempos' e dos amigos motoristas como Pedro Zeferino de Paula que tinha um Chevrolet com buzina tipo flauta, tocada por dedos. Era avô do engenheiro Alaor, servidor público. Lembrou-se ainda dos motoristas Ernestino de Sá, que atendia o prefeito Leonel Hugueney, Aristides dos Santos, motorista de dom Aquino Correa, e do amigo Ernande, que o incentivou a seguir a carreira.

 

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Lateral da antiga Igreja Matriz abrigou carros de Praça

Enviando Comentário Fechar :/