Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Setembro de 2019

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

Cargas subiam de canoa para Abastecer as Feiras-livres

Cargas subiam de canoa para Abastecer as Feiras-livres

A história das feiras-livres e mercados cuiabanos tem suas origens no antigo Largo Cruz das Almas, hoje praça Ipiranga

O local se transformou na primeira feira-livre de Cuiabá e mais tarde virou mercado, com a construção do casarão que atualmente abriga as instalações do Ganha Tempo, construído pelo presidente da Província Augusto João Manuel Leverger, o Barão de Melgaço.

Em 1910 foi construído outro casarão para abrigar o novo Mercado Público.

No século XIX, toda a produção dos pescadores e pequenos sitiantes da região ribeirinha do rio Cuiabá era transportada por canoas cheias de cargas subindo a 'Boca do Valo” (Córrego da Prainha) em direção ao Largo Cruz das Almas, onde os canoeiros atracavam suas embarcações e descarregavam as variedades de mercadorias para atender o pequeno vilarejo.

O local se transformou na primeira feira-livre de Cuiabá e mais tarde virou mercado, com a construção do casarão que atualmente abriga as instalações do Ganha Tempo, construído pelo presidente da Província Augusto João Manuel Leverger, o Barão de Melgaço.

Esse antigo casarão, que foi Mercado Público, perdeu sua condição comercial quando foi ocupado pela força Nacional Militar no período da Guerra do Paraguai, servindo de enfermaria aos soldados acometidos de varíola.

Em 1910 foi construído outro casarão para abrigar o novo Mercado Público. Foi edificado na rua Formosa (Joaquim Murtinho), esquina com a avenida Generoso Ponce (Isaac Póvoas).

Até os anos 50 era comum ver nas ruas de Cuiabá as figuras dos tropeiros com seus bois de cangalhas carregados de mantimentos, lenhas e cachos de banana entre outros produtos.

Mas as feiras-livres nunca deixaram de fazer parte da vida do cuiabano. Com a desativação da feira na praça Ipiranga a nova feira se instalou na avenida Isaac Póvoas, entre a rua 13 de Junho e a rua Barão de Melgaço. O local tornou-se tradicional nos finais de semana.

Em nome do desenvolvimento, novamente a feira mudou de lugar. Desta vez foi parar em frente ao Arsenal de Guerra (Sesc Arsenal), atrás do estádio presidente Dutra. Em 1994, novamente a feira seguiu novo caminho.

Todos os feirantes foram para o Mercado do Porto, situado no antigo Campo do Bode, nas proximidades do antigo Mercado do Peixe, construído no século XIX, no ano de 1899, nas margens do rio Cuiabá, o qual foi transformado em Museu do Rio Hid Alfredo Scaff, antigo proprietário da empresa de Navegação Scaff Gattas & Cia.

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Cargas subiam de canoa para Abastecer as Feiras-livres

Enviando Comentário Fechar :/