Assine e receba a edição em casa

Vídeo Institucional

Cuiabá, Julho de 2019

Expediente Login
Almanaque Cuiabá

A Mulher que inaugurou a TV Centro América

A Mulher que inaugurou a TV Centro América

O ano era 1969. Antonieta Ries Coelho assoprava mais uma vela de seu aniversário. Foi neste dia que ela resolveu inaugurar a TV Centro América, cujo nome fora escolhido também por ela. Em Cuiabá, Antonieta dirigiu todo o processo de abertura da emissora, desde a construção do prédio até a escolha dos programas. Além disso, como na cidade ninguém possuía o aparelho de televisão, ela própria passou a vendê-los. Foram 1.283 aparelhos das marcas Philco e Michigan, que Antonieta começou a vender mesmo antes da inauguração da emissora.

Logo depois, porque “redigia bem e falava bastante”, Antonieta foi para a Comissão de Estradas e Rodagem, responsável por esparramar o asfalto por Cuiabá e abrir o Estado.

Não foram lances sensacionais que fizeram os projetos de Antonieta Ries Coelho, fundadora da TV Centro América, ir adiante. Sua vida foi feita de pequenas, mas importantes, decisões.

Antonieta Ries Coelho nasceu em Coxim-MS no dia 13 de fevereiro de 1928. Sua mãe, Eugênia Mendes, era filha do casamento entre um negro e uma índia; e seu pai, Antônio Ries Coelho, um rio-grandense descendente de alemães. “Na Alemanha, o sobrenome Ries é tão comum quanto Silva, no Brasil”, diz ela. Na época do nascimento de Antonieta, Antônio Coelho era o chefe de Polícia de Mato Grosso, cargo que equivale hoje ao de secretário de Segurança. Mais tarde, ele seria deputado estadual por duas legislaturas.

Como todas as meninas de Cuiabá daquela época, Antonieta estudou o Primário no Grupo Escolar Barão de Melgaço, e o Ginásio no Colégio Estadual. Os passatempos das meninas eram, segundo Antonieta, aprender a tocar piano, a declamar poesias, a cozinhar, a pintar e a bordar.

O primeiro emprego de Antonieta foi, por intermédio de seu pai, como secretária no Departamento Estadual de Estatísticas, aos 18 anos. Dois anos mais tarde, foi promovida para a Inspetoria Regional de Estatísticas, ligada ao IBGE. Logo depois, porque “redigia bem e falava bastante”, Antonieta foi para a Comissão de Estradas e Rodagem, responsável por esparramar o asfalto por Cuiabá e abrir o Estado.

Da Comissão de Estradas para a Camargo Corrêa, cuja sede é em São Paulo, foi um pulo, dado em 1955. Antonieta foi trabalhar como secretária do dono da empresa, Sebastião Camargo. O trabalho, entretanto, durou apenas dois anos, porque o irmão de Antonieta, de 17 anos, teve um derrame e os médicos o aconselharam a deixar o clima de São Paulo. O jeito foi mudar-se para o Rio de Janeiro, onde surgiu a possibilidade de um emprego na Editora Martins.

Em 1964, Antonieta aceitou a missão de Ueze Zahran, empresário de Campo Grande e compadre de sua irmã, de representá-lo no processo de concessão de TV junto ao Conselho Nacional de Telecomunicações, no Rio de Janeiro. O empresário pleiteava a concessão para montar uma emissora em Campo Grande. Assim, em 1965, Campo Grande ganhou a TV Morena e, em 1969, no dia do aniversário de Antonieta, Cuiabá inaugurou a TV Centro América, cujo nome fora escolhido por ela.

Em Cuiabá, Antonieta dirigiu todo o processo de abertura da emissora, desde a construção do prédio até a escolha dos programas (leia matéria nesta página). Além disso, como na cidade ninguém possuía o aparelho de televisão, ela própria passou a vendê-los. Foram 1.283 aparelhos das marcas Philco e Michigan, que Antonieta começou a vender mesmo antes da inauguração da emissora. Em 1974, Antonieta se despediu da TV Centro América, que até hoje é líder de audiência.

    Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para A Mulher que inaugurou a TV Centro América

Enviando Comentário Fechar :/